Tag Archives: Sexo e Cinema

Curiosidades/Notícias Sexo e Cinema Sexualidade

O sexo ao redor do mundo: nova série documentário

Neste ano de 2011 fomos presenteados com uma ótima série documentário, exibida pela TV5, que fala/falará sobre as diferentes práticas sexuais e dos sentimentos amorosos em oito países diferentes: Reino-Unido, Argentina, China, França, Itália, Índia, Japão, Ruanda e Suécia.

lesexautourdumonde

A série começou a ser exibida neste mês de janeiro e seguirá com as exibições até o dia 24 de fevereiro.

Já foram exibidos os episódios sobre Suécia e Ruanda e os demais países terão as exibições nos seguintes dias: – Reino Unido:  18/01 (21h) e 20/01 (22h);  Argentina: 25/01 (21h) e 22/01 (22h);  Índia: 01/02 (21h) e 03/02 (22h);  França: 08/02 (21h)  e  10/02 (22h); China: 15/02 (21h) e 17 (22h) e  Japão: 22/02 (21h) e 24/02 (22h).

Para nossa felicidade, há um  site na Internet, com vídeos, textos e curiosidades, bem como a programação completa dos episódios. Tudo em língua francesa, infelizmente, mas há alguns vídeos em inglês.

Considerando o rico material e os temas abordados, farei alguns posts para falar de alguns episódios já veiculados e para compartilhar e prolongar o debate por aqui,  em português.

Então, acompanhem os próximos posts e participem das discussões tratadas no documentário-série, aqui no sexocult.

Fica o vídeo de divulgação da série (em francês, désolé!)


PLUS
:  Em março de 2011, a TV5 irá exibir a série “Le sexe autour du monde – nos Estados Unidos”, uma série de webepisódios disponibilizados exclusivamente na TV5.ca e depois no site  www.sexeautourdumonde.com.

Curiosidades/Notícias

Irã: presa por quebrar o tabu da sexualidade

Pintora e cineasta que vive em Paris, Mitra Farahani foi detida esta semana ao descer do avião em Teerã. Ela saltou na boca do bolo ao regressar a seu país.  Sua culpa perante os religiosos? ter produzido o filme Tabous, em 2004.

tabous1

Tabous é um filme sobre o desejo sexual e as frustrações da sociedade iraniana, que teve um enorme sucesso no Irã. Sucesso clandestino, claro.

Em uma entrevista publicada na imprensa, por ocasião do lançamento do filme Mitra declarou:

“Absolutamente todo mundo tem uma vida dupla em Teerão. E todos sabem que todo mundo tem uma vida dupla. “

Depois de muitos anos a intimidade sexual dos iranianos é revelada por esta artista de 34 anos. Ela fala da sexualidade em seu país em suas pinturas de Arte Déco, arte que a levou a Paris em 1998.  E, também, em seus filmes. O tema foi abordado desde o seu primeiro  documentário “Juste une Femme” (Apenas uma mulher), que conta os primeiros passos na vida de um homem que se tornou mulher.

Ela diz que, numa sociedade onde é impossível viver a sua homossexualidade, a mudança de sexo às vezes é a solução mais simples, adotada por muitos gays iranianos, sem que ninguém fale desse assunto. Elogiado pelos críticos, o documentário “Juste une Femme” lhe permitiu realizar seu primeiro longa metragem aos 28 anos de idade. “A maior parte dos cineastas se autocensuram”, diz ela.

Tabous tem a particularidade de ser um documentário que mescla realidade com cenas de ficção. Ao final, os atores franceses (incluindo Coralie Revel) reproduzem um conto erótico, um poema do século XIX de Iraj Mirza.

tabous2

Ter ousado filmar uma mulher nua sobre a terra sagrada do Teerã é, sem dúvida, um dos motivos que levou à prisão de Mitra. Uma vez que nenhum cineasta foi tão longe na transgressão.

tabous1

Mitra  foi presa ao descer do avião, assim que mostrou seu passaporte. Foi conduzida ao escritório da polícia, onde permaneceu por dois dias.  Em seguida, ela foi transferida para a prisão de Evin, onde se encontra um grande número de presos políticos, como o jornalista amerciano-iraniano Roxana Saberi, recentemente libertado.

O caso de Mitra pode ser mais delicado aos olhos dos mulás, porque com seu filme, mesmo que ela tenha dado voz aos religiosos, ela revela tabus mais atuais do que nunca. O seu destino dependerá da revolta e dos protestos em curso no país.

Fonte: Le Post

Sexo e Cinema

Sexo virtual Tátil

O curta metragem experimental  – Sexo virtual Tátil  –  do diretor Marcius Barbieri, produzido em 2003, têm como proposta discutir o isolamento e a artificialidade das relações sexuais na atualidade. 

sexo_virtual

Protagonizado por Elvis Kleber, Flávia Inflável (a boneca) e Ricardo Guti, o curta tem duração de 8 minutos e retrata

” o encontro amoroso de 3 plásticos e o distanciamento nas relações entre os seres humanos na sociedade tecnológica.”

Polêmico, o curta pode agradar muito ou desagradar totalmente seus telespectadores, uma vez que suas cenas se aproximam bastante do cinema pornô.

Além de discutir a relação humana na sociedade tecnológica, o vídeo abre para discussões sobre o quanto alguns suportam o tema da sexualidade  em uma linguagem direta como a utilizada no curta.

Alguns acham que a “proposta é boa, mas as cenas são fortes e explicitas demais”… outros acham que “ele não é mais do que um filme pornô”… e outros vêem muito mais coisas do que uma simples troca sexual entre três  plásticos.

Pornô? erótico? porque cenas tão explicitas?  tem necessidade esta “pornografia” toda?,  ou, é ótimo e bela porque é assim?

Bem…  interpretação é interpretação…

De uma forma ou de outra,  o curta metragem está  (merecidamente na minha opinião) entre os mais vistos do PortaCurtas, assista lá você também: Sexo Virtual Tátil. 

.

  • Publicidade